Best in Travel 2011 – Top 10 Cidades para Visitar em 2011

A conceituada editora de viagens Lonely Planet já editou o Best in Travel 2011. Como sempre,  a editora apoiou-se no conhecimento, paixão e de quilómetros percorridos pelos seus colaboradores, autores e comunidade on-line para apresentar esta “bíblia” de viagens e dicas para 2011.

No Best in Travel 2011, você encontra as tendências, destinos, percursos e experiências para o próximo ano. Em baixo pode ler um extracto (traduzido) sobre as top 10 cidades para visitar em 2011:

1. Nova Iorque

Desde 11/09, o local das torres gémeas do World Trade Center tem-se mantido fechado, fora-de-vista e dolorosamente vazio. Este ano isso vai mudar, o ex-WTC, finalmente, reabre ao público com o National September 11 Memorial, uma praça com mais de 24.000 m2, repleta de árvores, cachoeiras com 30 metros de profundidade e rodeada pelo nome de cada vítima e iluminado à noite (o museu seguirá em 2012). Para a cidade, isso será mais importante do que se os Yankees, Knicks, Rangers e os Giants ganharem campeonatos simultâneos. Veja o nosso guia de turismo barato para Nova Iorque.

2. Tânger, Marrocos

Com a sua posição extraordinária na ponta norte-ocidental de África, Tânger olha em duas direções: uma face em direcção a Espanha e Europa, e a outra em direcção a África. A ‘cidade branca’ anuncia uma cultura excitante e diferente da dos seus parentes mais próximos através da água. Tânger tem sido sempre de importância estratégica, mas até recentemente era considerada desprezível, decadente e depravada. Com a recente chegada de um novo governador à cidade, a praia da cidade agora brilha, as prostitutas estão fora das ruas e até mesmo os motoristas de táxi são educados. Um novo e elegante Tânger está a ser criado com uma comunidade artística dinâmica, edifícios renovados, grandes lojas e novos restaurantes chiques

3. Telavive, Israel

Tel Aviv é o reverso total de Jerusalém, uma moderna Sin City no mar ao invés de uma cidade sagrada antiga numa colina. O hedonismo é a única religião que une os seus habitantes. Existem mais bares do que sinagogas. De longe a cidade mais internacional de Israel, Tel Aviv é também o lar de uma grande comunidade gay, uma espécie de San Francisco no Médio Oriente. Graças às suas universidades e museus, é também a “estufa” para a cultura em crescimento de Israel, cinema, arte e cenas musicais.

4. Wellington, Nova Zelândia

Para aqueles que gostam de chegar cedo … Castlepoint, perto de Wellington, é um dos primeiros lugares no mundo para ver o nascer do sol.

Apesar (ou talvez por causa) do seu clima impetuoso, Wellington é Cool, com mais bares, cafés e restaurantes per capita do que Nova Iorque. Durante todo o ano você vai encontrar artes e manifestações culturais em abundância. Da mesma forma, a sua indústria cinematográfica, “Wellywood”, centrados na península de Miramar, está em ascensão graças em grande parte ao sucesso de Sir Peter Jackson. Os locais amam a sua cidade e fazem questão de ajudar os visitantes a apaixonarem-se por ela também.

5. Valência, Espanha

Mantendo o seu charme provincial, a terceira cidade de Espanha mistura-se agora com a multidão internacional. Anfitrião da America’s Cup Yatching e um circuito anual de rua de corrida de Fórmula 1, também é a Capital Europeia do Desporto para 2011 e um dos destinos favoritos para conferências e congressos. Meio milénio depois, as estruturas da Cidade das Artes e Ciências, concebida em grande parte por Santiago Calatrava, o filho de Valência, falam de uma nova era de esplendor.

6. Iquitos, no Peru

O mais recente “boom” em Iquitos é o turismo. É uma fatia da vida amazónica. Os clubes tocam salsa e rock até de manhã com o vigor que você esperaria da capital selva do Peru, mas Iquitos é também um centro cultural e funciona como um posto de troca para as tribos da floresta.

7. Ghent, Bélgica

Aqui está um segredo dentro de um segredo: Ghent podia ser a melhor cidade europeia que você nunca pensou em visitar, num país que continua a ser criminosamente ignorado. Ghent esconde-se no meio das três grandes cidades da Bélgica: Bruxelas, Bruges e Antuérpia. A maioria dos visitantes vêm nada mais do que as fortificações senhoriais da Estação de St. Ghent Pieter. Aqueles que se aventurarem mais e passearem ao longo do rio Leie para o centro histórico, ficarão surpreendidos. Aqui esconde-se um dos melhores panoramas de água da Europa, torres e casarões seculares.

8. Deli, Índia

Os grandes preparativos para os Jogos da Commonwealth, que decorreram em Outubro de 2010, melhoraram as infra-estruturas da cidade, ruas limpas e mais opções de alojamento.

9. Newcastle, Austrália

Newcastle tem a maioria dos artistas nacionais per capita, e imensas galerias – espaços e dezenas de edifícios do centro da cidade desocupados, são ocupados por fotógrafos, estilistas, artistas digitais e muitos mais. Hoje, Newcastle é uma mistura única de sofisticação, imaginação e cultura do surf.

10. Chiang Mai, Tailândia

Se Chiang Mai fosse uma pessoa, seria Bob Dylan. Com uma história que remonta mais longe do que qualquer um pode recordar, a sua influência continua a ser enorme. E apesar da sua idade avançada, ainda há uma elegância boémia, que a torna tão relevante como nunca. Capital da cultura da Tailândia, Chiang Mai foi uma vez o coração do reino de Lanna. Com um toque amigável e cosmopolita, este é um lugar fácil, seguro e agradável de explorar. Existem dezenas de templos bem preservados também.

Deixe uma resposta

Fechar Menu