Guia Verde Para Milão

Como deve saber, hoje (22/04/2008) é o dia da terra. Para sensibilizar os leitores e visitantes do Viajar Mais Barato, irei começar a publicar guias verdes para as principais cidades mundiais. Os artigos serão feitos com base em outros artigos de autores residentes nessas mesmas cidades, pois, nada melhor que um local para nos dar dicas sobre a sua própria cidade. Se por acaso quiser fazer o guia verde da sua própria cidade, envie o seu texto juntamente com o endereço do seu blog ou website (caso tenha algum) e terei todo o gosto em publicá-lo aqui.

Sara Rosso, uma fotógrafa e escritora freelancer a viver em Itália desde 2003, neste momento a viver em Milão dá umas boas dicas sobre quais as melhores maneiras de andar nesta bonita cidade de forma mais barata e mais amigo do ambiente.

Foto: kenyai

Segundo a Sara, a cor verde não é a cor que vem à cabeça quando se fala em Milão, mas essa tendência tem vindo a mudar muito rapidamente. Em Janeiro de 2008 o presidente da Câmara de Milão introduziu o “Eco-pass”, uma ferramenta que os carros mais velhos têm de pagar para entrar no centro da cidade. Uma boa forma de desencorajar o trânsito no centro da cidade, sem duvida.

De/para o aeroporto

O aeroporto Milan Malpensa fica a cerca de 50 minutos do centro da cidade e é o maior aeroporto de Milão. À chegada, tanto o serviço de autocarro, como o comboio são alternativas mais baratas aos táxis com preços fixados em €70. Duas diferentes companhias de autocarros saem de 15 em 15 minutos para a Estação Central. Após a chegada, facilmente pode apanhar a linha verde (M2) e a linha amarela (M3), ou se preferir tem vários autocarros à disposição. O comboio Malpensa Express sai de 30 em 30 minutos para a Estação Cadorna, onde se encontra a linha vermelha (M1) e a linha verde (M2) do metro. Se preferir pode ir a pé para o coração da cidade.

O Milan Linate é o aeroporto mais pequeno perto da cidade. Apanhar um táxi neste aeroporto, custa entre €15 a €30, depende para onde precisar de ir. Por outro lado o autocarro publico 73 sai com regularidade e por apenas €1, pode sair perto de Duomo (Piazza San Bablia), que fica a 15 minutos da linha vermelha (M1) e amarela (M3). A companhia de autocarros particulares, sai a cada 30 minutos e faz a viagem de Linate para a Estação Central.

O Metro e os transportes públicos de Milão

O sistema de metro de Milão é relativamente pequeno, com apenas 3 linhas, que quando combinadas com os trajectos dos eléctricos e dos autocarros torna-se extensivo e relativamente fácil de navegar. Muitas paragens de autocarros têm indicadores electrónicos. Aconselha-se uma viagem de eléctrico pela zona histórica da cidade.

O site ATM, é excelente para calcular percursos e descobrir qual o melhor meio de transporte publico para ir de um destino para outro. As bicicletas podem andar de metro, mas apenas a partir das 20h e aos fins de semana.

Alugar Bicicletas

O programa de partilha de bicicletas de Milão, similar à de Paris (Velib) está prometido pela Câmara Municipal, iniciar em 2009. Actualmente existem 60 km em percursos à sua diposição se tiver acesso a uma bicicleta.

Partilha de carros

Se vai viajar para dentro e fora de Milão ou por um período alargado, deve considerar utilizar o programa de partilha de carros deles, suportada em parte pela Câmara Municipal e ATM.

Após pagar uma pequena quantia anual (actualmente €120 por família), pode alugar um carro com menos de 1 hora de antecedência em vários depósitos de partilha de carros à volta da cidade, como por exemplo Guidami e CarSharing Italia

Gastronomia

Quase todos os pratos italianos são simples, com ingredientes frescos, vegetais e fruta da época.

A Slow Food, fundada em Itália, foi criada para combater a fast food e para expandir os seus horizontes gastronómico, existem eventos slow food em Milão. Também pode comprar o livro que a Slow Food publicou sobre lugares tradicionais para comer e ficar.

Mercados de Rua

Um dos maiores prazeres de estar em Itália é comprar produtos frescos num mercado de rua e Milão está cheio deles. Uma lista completa de mercados está disponível em Comune website. Os melhores, segundo a Sara são o Mercato di via Papiniano (Metro: Porta Genova/S. Agostino) e o mercado di Piazzale Lagosta (Metro: Zara).

Natura Si é uma das muitas lojas de comida saudável e muitos supermercados italianos têm secções de produtos considerados biológicos (orgânicos).

Happy Cow tem uma lista de restaurantes vegetarianos e lojas saudáveis em Milão.

Se preferir comer uma refeição caseira em casa de alguém, a Home Food é uma interessante alternativa. Jante com outros viajantes.

Uma visita a Itália, não fica completa sem o famoso “gelato”. Grom oferece um gelado natural com informação detalhada sobre os ingredientes. Procure por mais gelaterias milanesas em Tour del Gelato.

Espaços verdes em Milão

Num dia bonito, o Parco Sempione (Metro: Cordusio) está cheio de pessoas a fazer jogging, famílias, grupos a divertirem-se e a aproveitarem as sombras de imensas árvores. Também é uma excelente localização para um bom picnic. Giardini Pubblici Indro Montanelli (Metro: Porta Venezia) é mais pequeno que o Parco Sempione, mas também uma óptima localização para picnics. Mais afastado do centro, o muito largo Parco Nord oferece imensos espaços verdes. Parks.it tem uma lista de todos os parques na área.Museus e Espectáculos

Junto ao Parco Sempione está o Castello Sforzesco, dentro do qual existem alguns museus. A partir dali, pode usar a zona pedonal ou a zona pedestre que vem da Via Dante, frente ao castelo até à Piazza del Duomo e à sua área envolvente. O Leonardo DaVinci Science e o Technology Museum (Metro: Cadorna) têm em exibição conteúdos relacionados com o ambiente.

Reciclar

Existem vários receptáculos para o lixo e reciclagem. Se por acaso os receptáculos não tiverem cores a distingui-los, terá de perceber um pouco de italiano: Carta (Papel), Plastica (Plástico), Aluminio (Latas) e Vetro (Vidro).

Foi também recentemente introduzido no Metro uma reciclagem para jornais com o nome de salvagiornali, que no primeiro ano, está previsto salvar 1000 toneladas de jornais, por isso, se por lá passar, não se esqueça de deitar o seu jornal nestes contentores.

Alojamento

Alugar um apartamento em vez de ficar num hotel tem um efeito positivo em tudo o que o rodeia, pois, assim consegue controlar a quantidade de água e electricidade que está a ser consumida. Pode também , assim, preparar refeições simples com produtos locais.

Slow Travel, é uma organização que defende férias “slow” e que ficar em um lugar por um período alargado de tempo, faz com que se sinta mais identificado com a cultura.

Alguns apartamentos “short-term” em Milão estão em sites como o Halldis e o RentXPress. O Ariston Hotel é cobrado como um hotel ecológico, mas não existe nenhuma associação para hotéis ecológicos em Milão presentemente. A Legambiente, a organização ecológica em Itália tem uma lista de hotéis que são considerados ecológicos.

Artigo original: Green Guide to Milan

Este post tem um comentário

  1. Pingback: Voos para Milão baratos pela easyJet | Viajar Mais Barato

Deixe uma resposta

Fechar Menu